31 de março de 2016

Girls | Temporada 5 Até Aqui



O destaque de Março vai para Girls, a série de que já muito falei mas sempre ao de leve. O que me faz vir monologar acerca da obra de Lena Dunham é esta temporada que vai em 6 episódios e não pára de surpreender! Queixei-me de que os episódios sabiam a pouco e o dia-a-dia de cada uma era pouco explorado. Parece que Dunham leu o meu post e nos trouxe mais sumo em episódios que se ligam e não são tão autónomos como os anteriores.

O fim da season 4 é a maturação das miúdas e especialmente de Hannah, que parece emocionalmente equilibrada num momento difícil, o nascimento da sobrinha de Adam. Tanto ela como Jessa fazem parte do processo difícil do parto de Caroline, que dá o nome de ambas à bebé. Pois bem, parece que a presença de Jessa na vida do ex-namorado da protagonista não ficou por aqui... Se a aproximação de Adam e Jessa nos assustou um pouco para depois nos deixar em paz a acreditar na amizade pura, a quinta temporada deu-nos novamente a volta!

-spoilers -

2 de março de 2016

Room



Tal como Gone Girl no ano passado, Room é o meu eleito dos Oscars 2016. Tem boa história, também baseada num livro e excelentes interpretações. Tal como aconteceu a Rosamund Pike, Brie Larson recebeu a estatueta de melhor actriz, vencendo a sempre brilhante Cate Blanchett e a carismática Jennifer Lawrence. Neste momento é a namorada da América (taco a taco com Alicia Vikander, também vencedora enquanto actriz secundária) e em termos de popularidade começa a ultrapassar J-Law. Esperamos vê-las juntas no projecto escrito por Jennifer e Amy Schumer!

Mas agora vamos ao filme!
O público em geral adora histórias de sociopatas, prova disso é o êxito de Making a Murderer. Normalmente a indústria foca-se muito no sujeito que rapta, tortura e mata, nas suas acções para com as vítimas e pouco na vida destas após o abuso. A obra de Lenny Abrahamson inova aqui, alterando as directrizes mais comuns deste género de narrativa. Mostra-nos uma mãe dedicada e criativa (Brie Larson) e um filho curioso e inteligente. Mostra-nos a sua habitação de dez metros quadrados, que é o mundo do Jack (Jacob Tremblay), com vista muito limitada para o universo.